8 de jun de 2014

Série Brasilidade _ Elyssana Louzada


A melhor coisa da vida é encontrar pessoas receptivas e que nos tratam bem, com a Elysanna Louzada não foi diferente. Além de esposa e mãe esta simpática autora ainda encontra tempo para nos conceder uma rápida entrevista!




1-Ser escritora sempre esteve em seus planos?
Na verdade, não. Eu fui professora de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira por dez anos e só pensei em mudar de carreira depois que meus filhos nasceram.

2-Quem te inspirou nesta jornada? E de quem você recebeu mais apoio?
A própria vida é inspiradora. O escritor deve ser um bom observador do cotidiano e das relações humanas. É desse contexto que saem minhas histórias.
Quem mais me incentiva nessa jornada de escritora é meu esposo e meus filhos.

3-De onde saiu a inspiração para escrever Herdeiros do Trono?
Bem, Herdeiros do Trono surgiu de minha vontade de falar com os jovens sobre valores como fé, amor, esperança e também sobre escolhas e suas implicações na vida. Gosto de escrever nas dedicatórias do primeiro volume que “o destino é lugar para onde nossas escolhas nos levam” – essa é a grande mensagem do livro 1.

4-Em sua opinião o que é mais desafiador de escrever: volume único, trilogia ou série?
Eu ainda não escrevi uma série, por isso não vou opinar, mas entre um volume único e a trilogia, o mais complexo para mim foi a trilogia. Isso porque antes de começar a escrever precisei criar todo o esqueleto da história, o background, os conflitos, a política, a geografia... É necessária muita atenção para não deixar pontas soltas, por isso todo o planejamento prévio de capítulos e cenas antes de começar a escrita propriamente dita.

5-Como leitora qual a sua opinião sobre Amores Impossíveis?
Está falando sobre a antologia lançada pelo Ases da Literatura, no ano passado. Bem, se for, achei uma bela reunião de dramas do cotidiano. Meu conto Andorinha, inclusive, acabou de ser transformado em um romance cujo título será: Uma Lição de Amor.
Como consegue conciliar ser mãe, esposa e escritora?
Bem, preciso fazer uma boa ginástica, mas conto com a compreensão da minha família e tudo acaba se encaixando.

6-Muitos afirmam que “brasileiro lê pouco”. Como você analisa esta situação?
Isso é um fato que, acredito, esteja se revertendo, caso contrário não haveria gigantes como a Amazon interessados no mercado brasileiro.

7-O que você diria aos jovens que almejam seguir carreira de escritor?
Leiam muito, sejam observadores e acreditem que é possível.

Rapidinhas
Livro: Orgulho e Preconceito
Ídolo: não gosto dessa palavra, prefiro pessoas que admiro, e nesse caso, citaria, pelo menos três: Madre Teresa de Calcutá, Martin Luther King e Fábio Agrizzi, meu marido.
País: Brasil
Momento: o agora
Frase marcante: “Eu tenho um sonho.” Luther King

7 comentários:

  1. Muito legal a entrevista, adorei a frase “o destino é lugar para onde nossas escolhas nos levam”!Me inspirou.

    Beijos,
    http://misssorrisos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá pessoal, amei o post. Obrigada pelo carinho e parabéns pelo trabalho aqui no Blog. Grande beijo para toda a equipe.
    @ElysannaLouzada

    ResponderExcluir
  3. Ely fala muito bem em nome de todos os escritores brasileiros. Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. Ah, que simpatia ela!!
    Estou adorando toda essa brasilidade...
    Parabéns, Ely!!!

    Tudo por aqui continua lindo como sempre *-*
    Thati;
    http://nemteconto.org

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia a autora. Aqui todos os dias conheço novos autores, muito bom!
    Também gostei de saber que ela transformou o conto em um romance...

    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Bem legal ela mudar de carreira e nao tem medo da repressão que as pessoas fariam :)

    ResponderExcluir

Próxima Página