30 de mar de 2015

Turnê Intrínseca - Aracaju

Quem aí lembra  o que estava fazendo no dia 15 de janeiro?!

Eu lembro jovem, estava rolando "mil tretas" no twitter, era a corrida para trazer a Turnê Intrínseca para Aracaju.
Eu confesso que nesse dia minha mãe pirou comigo: eu não fiz nadaaa! Não estudei, quase não comi, só lavei os pratos do almoço na correria e lembro do Valfran perguntando que eu fiz com os pratos (risos).
E  o resultado é que a culpa é dos sergipanos e passamos, porque somos leitores de qualidade e quantidade (palmas para nós)!
De lá pra cá foi um criar de grupo no facebook e no "zap-zap", uma interação maravilhosa, as revoltas com o suposto lugar do evento, um fuçar nas turnês antigas pra saber como era o movimento e a ansiedade aumentando a cada momento.
 Pois ontem "mãinha" me acordou as 06:00 da madrugada, eu que não acordo esta hora dia de domingo pra ninguém, levantei e juntos a outros vesti minha armadura de leitora e fui "abrir" o shopping.
Eu sou muito intrusa então mandei ver na "tatuagens" de numeração pra organizar e ninguém perder o lugar, ideia da Léa ( teve uma moça que não gostou, pensei que fosse apanhar, mas beijos pra ela porque geral da Intrínseca amou e super agradeceu).
PS: minhas unhas ainda estão azuis por conta do marca texto.
Aí vocês perguntam e vocês não fizeram uma surpresa pra eles?! Não fizeram cosplay?! Uhmmm pessoinhas curiosas..
Teve sim!!!!
 Designer do André lindo nas plaquinhas, a impressão gráfica ficou a cargo da Fafinha e a montagem por todos nós...
 E teve essas pessoinhas roxas e laranjas (desculpa eu não entendo, uns até são velhos conhecidos) desfilando pelo shopping para nossa alegria e terror dos seguranças.

Gente eu anotei tudinho (juro, mostro até o print se quiserem) sobre o lançamento dos livros e tal, mas quero exibir a Fafinha, então como sou ousada passem no blog dela viu?! É o Pijama Retrô.
Cá pra nós e o mundo, sobre aquela equipe: quero por todos num pote e levar pra casa são uns divos, lindos, cheiroso e voltem sempre.
Sobre o evento: só acredito que como era a primeira vez eles não tinham dimensão do lugar que supostamente seria realizado o encontro, reconhecimento de localidade é super  importante #FicaDica.
 E outra coisa, os seguranças não estavam sabendo do evento (eu acredito que eles ficaram com muito  medo da gente), isso mostra certa falta de comunicação #SóAcho.
Algumas pessoas reclamaram por não ter cadeiras, não vou mentir a essa altura eu nem ligava mais, estava com gente gata, estava feliz.
Uma coisa feinha: não ganhamos códigos pra ebooks; Kobo ou  Lev a gente deveria ganhar, já que era uma linha tênue que a equipe vinha adotando nas outras cidades.





Bem fora isso ameeeeeei, amei o povo, amei a agitação e amei dizer que ajudei a trazer esse evento e que venha a 5º Turnê...

Beijos da morta de cansaço 


News Belas-Letras


Lançamento
Conheça a sua
"irmã mais velha"

Blogueira Fran Guarnieri lança o livro Morando Sozinha: tudo que você precisa saber para ter uma vida independente, com dicas para jovens e adultos levarem uma vida responsável longe da casa dos pais


Os jovens que alimentam o sonho de morar sozinhos poderão contar com uma nova amiga, ou simplesmente, a "irmã mais velha" que faz sucesso na internet com um guia escrito por quem entende do assunto. Aos 18 anos, Fran Guarnieri virou dona do próprio nariz e resolveu contar as experiências em um blog e agora, aos 22, lança pela Belas-Letras o livro Morando Sozinha.

No blog, Fran encontrou o espaço ideal para compartilhar experiências, dar dicas práticas e encorajar outras pessoas a levarem uma vida responsável mesmo longe da casa dos pais. A jovem também publica no blog dicas de decoração, gastronomia, planejamento financeiro e organização da casa. Já no Youtube, com quase 100 mil inscritos em seu canal (que já soma 3 milhões de visualizações), a blogueira publica tutoriais práticos de decoração e artesanato.

Mineira de Juiz de Fora, Fran trabalhou por três anos como desenhista projetista em uma empresa de engenharia e em paralelo criou o blog que, segundo ela, começou por puro hobby. Um ano depois, a jovem observou que poderia tornar o Morando Sozinha seu trabalho e resolveu trocar de atuação e passar a se dedicar exclusivamente ao site. Hoje, além de blogueira, Fran trabalha com criação de conteúdo, mídias sociais e empreendedorismo e também estuda engenharia de produção.


Entrevista exclusiva 
"É incrível poder trabalhar com
uma coisa que eu amo"


Em entrevista exclusiva, Fran Guarnieri dá mais detalhes do processo de mudança de vida, de como se organiza atualmente e como é o contato com as leitoras.

Belas-Letras: Quando foi que você criou coragem e decidiu ir morar sozinha?
Franciele Guarnieri: Fui morar sozinha mais por necessidade. Na época eu morava com meu pai e a nossa casa ficava muito longe de onde eu trabalhava e estudava. Então decidi que ia morar sozinha apenas para ficar mais perto do trabalho e da faculdade. Foi aí que tudo começou.

Belas-Letras: Qual foi o momento mais difícil dessa decisão?
Fran: Com certeza o mais difícil foi me adaptar à nova vida. É muito legal morar sozinha, de verdade. Só que a gente também recebe um monte de novas responsabilidades. Então bate um "medinho" de dar algo errado ou da gente não dar conta. Mas com o tempo dá para se adaptar.

Belas-Letras: E a primeira dificuldade?
Fran: Eu não tive muita dificuldade. Mas o que foi um pouco mais difícil foi adaptar a minha rotina normal (trabalho e faculdade) com outra rotina que era cuidar da casa, fazer compras, cozinhar e etc.

Belas-Letras: E a primeira alegria?
Fran: Ah, nessa fase é só alegria. É tudo tão novidade que a gente fica feliz com tudo. Seja pelo fato de comprar móveis novos ou por receber os amigos em casa. É muito legal!

Belas-Letras: Em três anos, são mais de 360 mil fãs no Facebook, 21 mil no Instagram, quase 100 mil inscritos no YouTube. O que eles mais buscam quando entram em contato com você? Quais conteúdos do blog fazem mais sucesso?
Fran: Hoje o blog cresceu e virou um referencial sobre estilo de vida. Então acredito que para todo assunto existe um público. Os vídeos mostrando um pouco da minha casa, quando falo sobre organização e disponibilizo godies (arquivos para download na internet) para as pessoas baixarem costumam fazer bastante sucesso. Elas amam!

Belas-Letras: O que toda pessoa que quer independência e sair da casa dos pais precisa saber para se dar bem quando for morar sozinha?
Fran: Eu acredito que quando você sai de casa "a sua ficha tem que cair", sabe? Quando você está sozinha não tem ninguém para te cobrar ou ficar no teu pé como os pais geralmente fazem. Agora é você tocando a sua vida por conta própria. E isso influencia muito no nosso futuro, pois agora somos totalmente responsáveis pelo que fazemos da nossa vida. É um pouco assustador no começo, confesso.

Belas-Letras: Como você se sente quando as pessoas, principalmente as meninas, dizem que você influenciou a decisão de ir morar sozinha?
Fran: Meu público é um pouco mais maduro. No geral, a grande parcela de quem me acompanha tem cerca de 20 a 35 anos, então essa já é uma idade que as pessoas começam a pensar mais sobre o futuro. Na verdade, eu costumo ouvir mais que o blog é como um "vamos colocar o pé no chão" do que um incentivo para que as meninas queiram morar sozinhas. Muitas me contam que quando passaram a ler meus textos começaram a ver as coisas de uma forma diferente. Elas dizem que só pensavam mesmo no quanto seria legal ter a sua própria casa e decorar do jeito que quiser. E realmente é uma das partes mais legais poder fazer tudo do seu jeito, mas tem muitas outras responsabilidades que devem ser levadas em conta.

Belas-Letras: Fora o blog e o carinho das leitoras, o que mais te deixa feliz ultimamente?
Fran: É incrível poder trabalhar com uma coisa que eu amo. Eu produzo muito conteúdo diariamente, seja para o blog, para marcas, para o Youtube ou para alimentar as minhas redes sociais. E eu faço tudo isso com muito carinho e, de uma forma muito legal, acabo recebendo todo esse carinho de volta através dos comentários e a interação que eu tenho com os meus seguidores. Isso realmente não tem preço.

Na mídia
Tatiana Romano participa de programa na Band

Nossa autora Tatiana Romano esteve ao lado do apresentador Daniel Bork no programa Dia Dia, da Band. O programa foi ao ar na última quarta (18) e a Tati preparou uma receita de Pamonha de forno, que está no capítulo Medo do livro Panelaterapia, que já está nas livrarias do Brasil. Na próxima semana, a autora estará em outro programa, desta vez pela internet, preparando mais uma receita especial. 

A foto acima é de minutos antes da gravação, quando Tati preparava os ingredientes para a receita. Clique aqui e assista a participação da autora no Dia Dia.



Uma vida sem máscaras
Relembre as passagens da
banda KISS pelo Brasil

Pela quinta vez em 32 anos, a banda KISS desembarca no Brasil para mais uma turnê de shows. Desta vez, os roqueiros se apresentarão em Florianópolis (SC), no dia 20 de abril, em Curitiba (PR), no dia 21, em Belo Horizonte (MG), no dia 23, em Brasília, no dia 24, e em São Paulo (SP) no dia 26. Saiba mais clicando aqui.

Em Uma vida sem máscaras, autobiografia de Paul Stanley que está em pré-venda na loja virtual da Belas-Letras, Paul fala sobre turnês que a banda fez pelo mundo, inclusive no Brasil. Veja abaixo como foram as passagens da banda pelo país.

Junho de 1983
A estreia da banda no Brasil teve direito a três shows: no Rio, em Belo Horizonte e São Paulo. Nessa turnê, Eric Carr era o baterista e Vinnie Vincent estava na guitarra. O ano de 1983 pode ser considerado um dos embriões para o rock nacional, já que dois anos depois aconteceria o primeiro Rock in Rio.

Agosto de 1994
Com a chegada do plano Real, as bandas internacionais começaram a voltar com mais frequência ao Brasil. Desta vez, o KISS trouxe para as terras brasileiras a The Kiss My Ass/Alive III Tour, com única apresentação no Estádio do Pacaembu, em São Paulo. A apresentação na terra da garoa valeu pela edição pioneira do Monsters of Rock.

Abril de 1999
Quatro anos mais tarde, o KISS retornou para dois shows, em suporte ao excelente – e diferente disco – “Psycho Circus”, que chegou com arte colorida e psicodélica e outros truques. Os shows em São Paulo e Porto Alegre foram, mais uma vez, um grande sucesso. A Psycho Circus Tour passou por aqui nos dias 15, em Porto Alegre, e 17, no Autódromo de Interlagos.

Abril de 2009
Demorou uma década para o Kiss desembarcar novamente no Brasil The com a Kiss Alive/35 World Tour. A turnê, comemorativa dos 35 anos da banda, também se destacou pelo retorno ao Rio de Janeiro. As apresentações foram dias 7, no Anhembi, e 8, na Praça da Apoteose.


29 de mar de 2015

Editora Planeta: Lançamentos Março



Olá leitores :)

Trago para vocês os lançamentos de Março da Editora Planeta. Vamos conferir?

978-85-422-0497-1 / Autoajuda / 14 x 21 cm / 144 p / R$ 24,90 / Brochura

O número de divórcios cresce a cada ano no mundo, e o Brasil acompanha esta estatística. As pessoas se casam menos, e o casamento passa a ser visto como ultrapassado. Usando como base a experiência que adquiriu ao resgatar inúmeros relacionamentos de situações de crise, Dr. Luiz Cuschnir propõe uma nova perspectiva para a união matrimonial. Levando em consideração as mudanças de rotina da vida contemporânea, ele apresenta uma maneira mais atual de enxergar o casamento e demonstra que é possível mantê-lo saudável, mesmo em tempos de grande individualismo. Ainda vale a pena é um verdadeiro manual para os novos homens e as novas mulheres que querem investir em uma relação a dois. O que importa, salienta o autor, é o amor. Temas como dedicação ao trabalho, o sexo, a opção pela maternidade, as diferentes prioridades e opiniões podem ser resolvidos com um bom diálogo e respeito mútuo. A monotonia do relacionamento, assim como o amor, é uma escolha e só depende de você para ser contornada. Se o amor existe, o convívio saudável é plenamente possível.


978-85-422-0477-3 / Não ficção / 16 x 23 cm / 344 / R$ 41,90 / Brochura

Só agora, 70 anos depois, começamos a superar a ordem estabelecida ao final da 2ª Guerra – um conflito de imenso peso na memória coletiva de muitos povos e países não só pelo seu papel central na construção do mundo que vivemos mas, também – ou sobretudo – pelos episódios aterradores de extermínio em massa, o horror dos totalitarismos, a inigualada destruição de populações civis e a arma do fim da humanidade, a bomba atômica. Se para alguns a participação brasileira foi simbólica ou de menor peso nos eventos puramente militares, isso em nada muda a importância, a coragem e o sacrifício pessoais dos soldados brasileiros, enviados à morte muitas vezes sem preparo, treinamento, equipamento e comandantes competentes num país distante e numa situação de difícil compreensão. A contrário, essas circunstâncias reforçam o brio que demonstraram. São duas perspectivas completamente distintas, a da participação do indivíduo e a da projeção histórica do acontecimento. É profundamente triste constatar quantos analistas no Brasil não sabem, ou não quiseram, separar uma coisa da outra.

978-85-422-0478-0 / Autoajuda / 14 x 21 cm / 160 / 21,90 

O palestrante internacional Stan Toler apresenta práticas e métodos que vencerão a ansiedade e as dificuldades que encontramos em nosso dia a dia. Deus sempre age no tempo certo. Podemos dizer que ele está em um fuso horário diferente do nosso. Então, devemos lembrar: “Deus Nunca se atrasa”. Se a ordem dos fatos não ocorreu exatamente como você esperava é porque deveria acontecer de outra maneira. Deus é onisciente e podemos confiar Nele. Neste livro, aprenderemos a ver a ansiedade de outra forma, a controlar nossas atitudes e a evitar exageros que atrapalham nossas conquistas. Normalmente, nossa falta de paciência nos impede de desfrutar das conquistas e das realizações. Por isso, aprendamos a controlar a ansiedade e a viver melhor. Isto é o que Deus espera de nós. 

978-85-422-0432-2 / Ficção / 16 x 23 cm / 408 / R$ 54,90 / Brochura

Ao ler Dez, nota dez! Eu sou Carlos Imperial, o leitor conhecerá a movimentada vida de Carlos Imperial, o ogro midiático que bagunçou a vida cultural brasileira. Autoproclamado “rei da pilantragem”, Imperial usava de todos os artifícios para promover as musicas que compunha. as peças que produzia, os filmes que dirigia e os artistas que lançava. Nomes como Erasmo Carlos, Paulo Silvino, Wilson Simonal, Elis Regina e Roberto Carlos contaram com o toque do grande descobridor de talentos em suas carreiras. Com um texto envolvente, produzido depois de seis anos de pesquisa e cerca de 200 entrevistas, Dez, nota! Eu sou Carlos Imperial revela em cada página as alegrias, dramas, perspicácia e toda a irreverência do homem que fez da polêmica uma das matérias-primas de sua dinâmica carreira.

978-85-422-0492-6 / Ficção / Ficção 16 x 23 cm / 304 / R$ 39,90 / Brochura

Em 1850, a aridez do Meio Oeste americano castiga quem se aventura pela selvagem e inóspita região. No entanto, Mary Cuddy, uma corajosa professora, se candidata a transportar três mulheres, consideradas loucas, do Estado de Nebraska até uma paróquia no leste do país, onde poderão ser acolhidas e tratadas devidamente. Mas sua bravura não será suficiente e, para cumprir tal tarefa e atravessar em segurança o oeste dos Estados Unidos, ela precisará convencer um guia a escoltá-las. O único que aceita a missão é o velho George Briggs. A dura e perigosa jornada, enfrentando bandos de índios e fortes tempestades de neve, entre outras intempéries pelo caminho, irá promover uma relação inusitada entre a honrada Mary e o, aparentemente, insensível renegado. A saga, colorida com tintas históricas e que resgatam o papel da mulher solteira nos EUA do fim do século XIX, cativou o ator e diretor hollywoodiano Tommy Lee Jones, que filmou a sua versão dessa história de Glendon Swarthout— estrelada por ele, Hillary Swank e Meryl Streep. O filme foi selecionado para a mostra competitiva do prestigiado Festival de Cannes, em 2014.


978-85-4220-466-7 / Não ficção / 16 x 23 cm / 424 p / R$ 44, 90 / Brochura

Desde os vinhedos de Salerno, na Itália, até a cidade de Bauru, no interior de São Paulo, a história real daquela que foi considerada a maior cafetina do país, Eny Cezarino, percorre os séculos XIX e XX. Contrariando o desejo de seus pais, que a criaram para ser uma respeitada dama e se casar bem — como se dizia antigamente —, a paulistana Eny tornou-se a proprietária de um dos mais famosos bordéis do Brasil, que teve seu auge entre as décadas de 1960 e 1970. Esse curioso paradoxo é contado de forma romanceada pelo jornalista Lucius de Mello, que, com uma prosa fundamentada em entrevistas, material iconográfico e em jornais e revistas, apresenta com riqueza de detalhes a trajetória da “Casa da Eny” — como era conhecido o bordel dessa famosa personagem de alcova. Belas garotas, com seus “corpos violão”, e homens célebres, entre eles artistas, empresários, políticos e até religiosos, circularam pelos salões, quartos e festas do endereço luxurioso e fizeram a fama do lugar, cujo cotidiano e segredos são revelados em Eny e o Grande Bordel Brasileiro.


978-85-4220-498-8 / Autoajuda / 14 x 21 cm / 240 p / R$ 29, 90 / Brochura

Não se iluda! Este não é um manual que vai transformá-la em uma mulher bem resolvida da noite para o dia. Sinto muito se essa era a sua intenção. A ideia é fazer você perceber que existem outras maneiras de enxergar e vivenciar a vida, mais originais e divertidas. O fato de você estar louca para ler este livro também não a faz uma mulher mal resolvida, alguém que precisa de lições para aprender como lidar com as situações mais diversas. Principalmente porque, antes de tudo, somos mulheres, e mesmo as mais bem resolvidas têm seus momentos de dúvida e desilusão, não é mesmo? Este livro é um bate-papo sincero, que não pretende impor posições ou criar estereótipos. São apenas os pontos de vista de alguém que adora tagarelar sobre a alma feminina. Você pode concordar ou discordar como sempre acontece em uma roda de amigos...

TRAILER DO CANAL http://bit.ly/1GZ90Jz

978-85-422-0495-7 / Ficção / 14 x 21 cm / 192 p / R$ 29,90 / Brochura

Bolonha, Mauro Maurício, Nêgo Jaime, Júnior, Dona Néia e Sebastião são heróis e anti-heróis que Ferréz criou para histórias curtas que apresentou em palestras e saraus realizados nas periferias brasileiras e também em grandes festivais literários no Brasil e no exterior. Neste livro inédito, o escritor mais emblemático da chamada literatura marginal transforma estas breves histórias em contos. A linguagem ágil, próxima à do rap, transforma-se em literatura. Os “causos” urbanos do cotidiano rude das cidades compõem em Os Ricos Também Morrem um mosaico do Brasil real. Para os fãs da verve ácida, direta e reta desse autor reconhecido em todo o mundo, este livro dá o recado: as injustiças e a desesperança moram ao lado e não do outro lado do Atlântico.
978-85-422-0493-3 / Ficção / 16 x 23 cm / 344 / R$ 39,90 / Brochura

O agente secreto americano Ethan Burke chega à aparentemente pacata cidade de Wayward Pines, em Idaho, Estados Unidos, com a missão de descobrir o que ocorreu com dois de seus colegas, que sumiram sem deixar rastro. Mas, ao chegar, Burke se envolve em um violento acidente de carro e acorda, dias depois, em um hospital da cidade sem sua carteira, seu celular e a pasta que continha os papéis secretos que o levaram até a região. Sem nenhum documento que confirme sua identidade, o agente não convence os moradores da cidade de que é quem diz ser. Para piorar a situação, ele não consegue contatar sua mulher e filho. Rapidamente, Burke percebe que nem tudo é o que parece ser em Wayward Pines e que o cenário bucólico do lugar esconde algo sinistro. A fértil imaginação do autor best-seller Blake Crouch é a responsável por essa instigante história que virou série de TV do canal por assinatura Fox, produzida e dirigida pelo cultuado cineasta M. Night Shyamalan (diretor de Sexto Sentido, entre outros sucessos de Hollywood) e estrelada por Matt Dillon, Melissa Leo, Terrence Howard e Juliette Lewis.

978-85-422-0501-5 / Autoajuda / 14 x 21 cm / 112 / R$ 21,90 / Brochura

Às vezes nos vem à cabeça perguntas das quais não sabemos as respostas. Às vezes, o desejo de Deus não é o mesmo que o nosso e por isso não entendemos. Outras vezes, perdemos. São tantas coisas que podemos perder! Quando parece que tudo acabou, é hora de encontrar os valores. Não é o fim, ao contrário, é o começo: Descobrir os verdadeiros valores que a vida tem precisa ser um aprendizado e uma prioridade em nossas vidas. Vivemos, cada dia mais, em uma sociedade na qual coisas são mais importantes que pessoas. É hora de despertar, acordar pra realidade. Enquanto tivermos a vida, teremos tempo e oportunidade para fazer essa grande descoberta. Abra o seu coração porque as páginas deste livro são convites à descoberta de cada valor que precisamos carregar dentro de nós.

978-85-422-0500-8 / Autoajuda / 14 x 21 cm / 144p / R$ 21,90 / Brochura

Quando há a necessidade de renovação, Deus nos mostra sua força criadora e transforma, molda, inventa, faz surgir uma semente nova, que será capaz de germinar bons frutos e espalhar os ramos do Evangelho. A semente nova sou eu, é você. Somos sementes de uma nova geração, que surgem em uma era dominada por conceitos mundanos para fazer a diferença. Esta nova edição do primeiro livro de Dunga, revisada e atualizada, conta com um capítulo inédito e nos mostra como viver a experiência de ser essa geração inovadora, que desafia os padrões atuais do pecado, se destaca e se fortalece com a graça divina. Sigamos juntos nessa trajetória, hasteando a bandeira do movimento PHN e levando-a para os que precisam descobrir a alegria de viver conforme os ensinamentos cristãos.


23 de mar de 2015

Crônica: Rituais de leitura


Primeiramente, estou muito feliz de ter esse espaço aqui! Vamos sempre conversar sobre todos os aspectos da literatura, dos pequenos aos grandes detalhes. E acho pra começar, podemos falar das manias que todo mundo que é leitor tem.

Vocês já pararam pra reparar que todo mundo que gosta muito de ler, tem um ritual antes de começar um livro? Não existe um leitor que não tenha. Se você acha que não tem, passe a reparar seus atos antes de iniciar a leitura de um livro, e acho que sua resposta mudará.

Eu, por exemplo, passo uns minutinhos observando a capa, tentando entender qual o significado dela para toda a história do livro. Depois, vou ler sobre o(a) autor(a). Adoro descobrir como é a pessoa que escreveu, e gosto mais ainda de imaginar como a vida deles pode interferir na história. Normalmente, não interfere nada, mas é legal fazer esse exercício de imaginação. E não posso começar sem ler os agradecimentos, acho uma parte primordial do livro, por isso não gosto de agradecimentos no final dos livros.


Estes rituais servem só pra prolongar a sensação pré-mergulho na história. Tenho certeza que você, leitor assíduo e frequentador de vitrines de livrarias, também faz uns rituais que não quer admitir. O que mais ganhou fama nos últimos tempos, e que até a Presidente Dilma (e vocês achando que estão sozinhos nessa) admitiu ter, é o hábito de cheirar livros. Confesso para você que não é um do qual partilhe, até porque meu olfato é péssimo, mas me parece que a cada dia a comunidade de cheirar livros cresce mais. Então, caro leitor desta coluna, se até a presidente deste país admitiu ter hábitos pré-leitura, você também pode admitir (e comentar logo aqui embaixo para vermos se mais alguém tem os mesmo hábitos).

Seja no metrô, no ônibus ou no sofá que você está jogado para começar uma nova leitura, você segue instintivamente um ritual. Mas porque tudo isso? Simplesmente porque começar um livro não é algo simples, é complexo! Por mais que muita gente duvide disso. Tem que existir toda a preparação mental e física para embarcar em um novo mundo literário, não dá pra encarar esta sem nenhum preparo. Comece a reparar ao seu redor e em você mesmo, vamos ver quantos rituais mais a gente faz!


22 de mar de 2015

Resenha: Quando Nietzsche chorou

Título: Quando Nietzsche chorou
Autor: Irvin D. Yalom
Nº de Páginas: 412
Editora: Ediouro

Olá, queridos! Hoje venho falar um pouquinho sobre um dos meus livros preferidos. Trata-se a magnum opus de Irvin D. Yalom, o psiquiatra escritor. O cara é incrível, apesar de neeem tão conhecido assim. 

Quando Nietzsche chorou é um romance parcialmente fictício, onde Yalom relata vários fatos reais sobre o filósofo e o coadjuvante não menos importante, Dr. Josef Breuer. Há ainda o amigo e apóstolo de Breuer, o jovem e ainda desconhecido Sigmund Freud. Porém, Yalom coloca encontros e conversas na trama que não ocorreram na vida real (pelo menos, não há registros). Mesmo irreais, os diálogos e enredo dessa obra são indescritível em muitos níveis. Yalom teve o poder de falar sobre Medicina, Psicologia, Psiquiatria, Filosofia e amor com extrema maestria. 

O romance se passa em Viena, onde Breuer era um médico renomado, um dos (senão o melhor) da época. Dedica-se muito a sua profissão, chegando a deixar sua família um pouco de lado para estudar e tratar seus pacientes. Breuer dedicava-se quase que exclusivamente a uma paciente chamada Bertha, mas que ele preferia chamar de Anna O. para que ela não fosse identificada. Acontece que Breuer, cada vez mais interessado no caso de histeria de Bertha/Anna, cada vez mais próximo a ela, acaba se apaixonando pela paciente. Sua mulher, irada, ordena que ele a encaminhe para outro médico, e Breuer, apaixonado, mas sensato, obedece. Temos então um médico levemente deprimido, ok.

Aparece na trama uma beldade chamada Lou Salomé, que ouviu falar sobre os dotes (profissionais) de Breuer. Ela lhe pede um favor um tanto esquisito para ele: que ele trate seu amigo, que sofre de terríveis enxaquecas, mas sua dor vai muito além disso: um coração partido. O paciente era extremamente teimoso, orgulhoso, sensível e genial: nosso querido Nietzsche. Breuer exita, mas fica intrigado e aceita o desafio.

Breuer, porém, deveria tratar Nietzsche sem que ele soubesse a real finalidade. Ele deveria pensar que era apenas por causa de sua enxaqueca, pois se descobrisse o motivo, ficaria furioso e jamais deixaria-se tratar.  

A partir do momento em que Breuer começa a tratá-lo, ele descobre coisas incríveis acerca dele e de si próprio. O jovem Freud ajuda Breuer a desvendar a alma de Nietzsche e a manter-se são, uma vez que Breuer sofre por Bertha e inconscientemente, pela vida que leva.

Para ganhar a confiança de Nietzsche, Breuer propõe a ele que o deixe tratá-lo incondicionalmente, enquanto o filósofo ajuda o médico com suas questões emocionais. O que Breuer não esperava era a intensidade e toda a genialidade de Nietzsche em sua vida, o que inicialmente era falso, torna-se irreversivelmente verdadeiro.

O livro nos leva do início ao fim a uma viagem além do âmbito da Psicanálise e da Filosofia: nos empurra ao âmbito da humanidade.

Eu sou suspeita porque adoro todos os temas e personagens envolvidos, mas se você não conhece muito, ou quer conhecer mais, esse livro é o caminho. Não tem volta: uma vez lido, ele vai te marcar para sempre. 

Por coincidência, como todos os livros que resenhei até agora, ele foi adaptado para o cinema. Posso dizer sem medo que a adaptação ficou muito bem feita, uma das melhores que já vi. O filme traz a essência do que o autor quer passar, só perde um pouco dos incríveis diálogos, claro, e a emoção do desenrolar da história. Claro que aconselho o livro, mas taí o trailer, caso te interesse:




Espero que gostem e leiam, é uma história devastadoramente encantadora.


"A verdade é algo medonho" - Friedrich Nietzsche. 




21 de mar de 2015

Resenha: A Verdadeira Bela - Li Mendi

Titulo: A Verdadeira Bela
Autora: Li Mendi
Editora: Highlands
Páginas: 159


Conheci A Verdadeira Bela através de uma amiga (abençoada seja).

É um daqueles livros digno de uma praia com os primos chatos, você os esquece e só vai lembrar do mundo quando chegar à ultima palavra e olhar ao redor perguntando pelos 3 P's, a chata da Linda ou pelo lutador de boxe ou será judô?!

A Li me encantou pela linguagem simples e pela história suave, divertida e contagiante.

Logo de cara a gente conhece Nicole, segundo a própria, pronta para o dia mais importante de sua vida. Muito ansiosa para a entrevista de emprego na empresa dos sonhos ela resolveu matar tempo almoçando no shopping, o que revelou ser um desastre maravilhoso (risos).

Com a roupa apenas cheia de estrogonofe Fernando ou Nando, como os filhos chamam, aparenta ser um cara sério. Logo após resolverem o estrago do "desastre maravilhoso" ele decide convidar Nicole para almoçar, ela mesmo receosa aceita ( quem não aceitaria almoçar com este gato?? ) e percebe que é bom estar ao lado dele.

E que mulher é essa meu Deus?? Ri pouco com ela falando tudo o que pensa, sem medo pelos outros (nunca que eu ia sair contando meus defeitos a um estranho).

O legal são as mensagens que eles começam a trocar, como ela consegue ter um bom relacionamento com os filhos dele...

-Nic, eu estou com medo de você.
-De mim? Sou tão inofensiva... No máximo, eu joguei comida na sua roupa.

...E ela pôr a chatoLinda no auge do desespero (apelido meu tá!? e eu daria ela de presente ao Pedro outro ser sem significância).

Algo que me atraiu foi como a Li explicou a conexão entre o Nando e a Nic.

Nós nunca sabemos o que iremos encoontrar na caixa de spam (risos).

Algumas coisas acontecem e para nossa tristeza Nicole decide se distanciar...

Mas, sempre tem um mas... Olha, olha, olhaaaa ela de volta:

-Fernando, quando eu ti vi a primeira vez, eu senti um frio enorme na barriga. Quando você vira a sua atenção para mim eu me sinto tão bonita[...]


Eu apenas li e reli este livro e amei, talvez por ser uma eterna apaixonada...
Beijocas, espero que goste...



Primeiras impressões: A Playlist de Hayden

Título: A Playlist de Hayden
Autor: Michelle Falkoff
Nº de Páginas: 288
Editora: Novo Conceito

SINOPSE
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente

Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.

A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.


Olá pessoal :)
Hoje trago para vocês minhas primeiras impressões sobre um dos próximos lançamentos da Novo Conceito, A Playlist de Hayden. 

O livro nos conta a história de Sam, um garoto nerd, que tem apenas um amigo e que ele acaba morrendo e deixando para Sam um bilhete e uma playlist com diversas músicas das mais variadas bandas, onde no bilhete tinha "Para Sam. Ouça. Você vai entender". Porém Sam não entende nada e vai procurar entender o que seu grande amigo quis dizer ao deixar aquele recado e aquela playlist. 


Conhecemos tudo ao ponto de vista de Sam, onde podemos tentar entender tudo que aconteceu de acordo com suas lembranças. 


A diagramação do livro é bem simples e o que eu achei bem interessante é que ao inicio de cada capítulo, tem uma música que está presente na playlist que Hayden deixou para Sam, e que a música tem tudo haver com o que vai acontecer no capítulo. 

Fiquem muito curioso para saber o restante do desfecho da história, pois recebi apenas os 8 primeiros capítulos e diga-se de passagem, são todos ótimos e fazem o leitor querer mais e mais. Tenho certeza que o livro será um sucesso, pois a história é maravilhosa. 

O lançamento está previsto para o dia 06 de abril. Abaixo deixo a música que encontramos no primeiro capítulo. Espero que gostem tanto quanto eu. 





Abraço e até a próxima :)


20 de mar de 2015

DARKSIDE: Lançamento Abril


Olá pessoal :)

A DarkSide mandou mais um lançamento em primeira mão para nós que nos inscrevemos na sua seleção e claro que eu tinha que compartilhar com vocês. Vamos conhecer? 




Título | A Noiva Fantasma
Autora | Yangzse Choo
Tradutor | Leandro Durazzo
Editora | DarkSide®
Edição | 1a
Idioma | Português
Especificações | 360 páginas, capa dura
Dimensões | 16 x 23 cm
Lançamento | Abril de 2015

“A odisseia de Li Lan a mantém à beira da morte terrena e prende o leitor às páginas.” 
New York Journal of Books




Até que a morte os aproxime 
“Certa noite, meu pai me perguntou se eu gostaria de me tornar uma noiva fantasma...”


1893. Li Lan é uma jovem que recebeu educação e cultura, mas que vive sem grandes perspectivas depois da falência de seus pais. Até surgir uma proposta capaz de mudar sua vida para sempre: casar-se com o herdeiro de uma família rica e poderosa. Há apenas um detalhe: seu noivo está morto. 

A Noiva Fantasma, que a DarkSide® Books publica no Brasil em 2015, é o surpreendente romance de estreia de Yangsze Choo, a escritora de ascendência oriental que está encantando fãs por todo o mundo. 

Por mais fantásticas que pareçam, as noivas fantasmas ainda resistem até hoje em parte da cultura asiática. A prática, que chegou a ser banida por Mao Tsé-Tung durante a Revolução Cultural, foi muito frequente na China e na Malaia (hoje Malásia) no final do século xix. O casamento era usado para tranquilizar um espírito inquieto, e garantir um lar e estabilidade para as mulheres que diziam sim a maridos já falecidos. É claro que elas tinham um preço alto a pagar, e com Li Lan não seria diferente. 

Evocando obras como Lugar Nenhum, de Neil Gaiman, A Noiva Fantasma é uma história impressionante sobre o amor sobrenatural e o amadurecimento, escrita por uma extraordinária nova voz da ficção contemporânea. Eleito o Livro da Semana pela Oprah. com, entrou em diversas listas de melhores livros do ano, como Indie Next List’s Pick, Glamour Magazine Beach Read, The Bookseller Editor’s Pick e Library Journal Barbara’s Pick.


YANGSZE CHOO é descendente de malaios. Formou-se na Universidade de Harvard e ocupou vários cargos corporativos antes de escrever seu primeiro romance, A Noiva Fantasma. Yangsze adora comer e ler, e faz as duas coisas ao mesmo tempo com frequência. Ela mora na Califórnia com seu marido e filhos, além de um coelho. Saiba mais em yschoo.com.


A DarkSide está me conquistando cada vez mais com esses lançamentos *0* Gostei tanto da sinopse que fui pesquisar mais sobre noivas fantasmas. Mais um desejado <3


19 de mar de 2015

Resenha: O Caçador de Pipas - Khaled Hosseini


Título: O Caçador de Pipas
Autor: Khaled Hosseini
Nº de páginas: 365
Editora: Nova Fronteira

O livro O caçador de pipas conta a história de Amir, um garota afegão, órfão de mãe, que não possui uma boa relação com o Pai e que é atormentado desde de criança por algo que ocorrerra e que mudou sua vida pra sempre.

Amir, cuja mãe morreu em seu parto e o pai não possui uma boa relação com ele, tem um amigo, praticamente irmão, chamado Hassan, filho do empregado da família, Ali. Amir e Hassan tinham o costume de praticar a brincadeira de levantar pipas e sempre participavam dos concursos de pipas que tinha em Cabul, a cidade em que eles moravam.

A história também possui o personagem Assef, um sadista e louco adolescente que odeia Hassan por ele ser um hazara. 

Simpatizante do nazismo, Assef tem o desejo de acabar com todos os hazaras.

Amir e Hassan nunca tiveram problemas, até um campeonato de pipas, que fez com que Amir vivesse para sempre com a culpa de ter traído e abandonado Hassan.

Tentando não viver com a culpa da traição, Amir faz de tudo para que consiga ficar longe daqueles que o fazer ter esse sentimento e arma um plano que acarreta a saída de Hassan e Ali da casa de Amir e seu Baba.

Com a a queda da monarquia do Afeganistão, o golpe de estado comunista e a implantação do regime militar pelos Talibãs, Amir e seu Baba se vêem na necessidade de fugir do país, deixando sua casa, amigos e sua história.

Anos depois, Amir recebe uma chamada de Rahim Khan, melhor amigo de seu Baba, dizendo que ele deve retornar ao Afeganistão, que o seu erro poderia ser recompensado.

Quando Amir encontra com Rahim Khan novamente, ele conta que Hassan fora morte há algum tempo e seu filho, Sohrab, fora levado pelos Talibãs e pede para que Amir o recupere. Quando Rahim Khan vê que Amir está relutante em ir, ele revela um segredo para Amir, dizendo toda a verdade.

Depois de se surpreender com o segredo que lhe fora revelado, Amir vai à procura de Sohrab e depois de muitos desafios e de rever velhor "amigos" ele consegue recuperar o garoto, mas uma série de acontecimentos o mostra que não será tão fácil conquistar a confiança do garoto. Mas Amir nunca pararia de tentar. Por ele, faria qualquer coisa a Sohrab. Por ele, faria mil vezes.

Um livro simplesmente fantástico, te prende do começo ao fim. Você vai chorar e se emocionar e vai começar a ver o mundo de outra forma. Vai ver que o mundo precisa de ajuda. No decorrer do livro, há partes que são impossíveis não se emocionar e chorar, seja essas partes com boas histórias ou com acontecimentos terríveis. 

Recomendo a todos os leitores. Todos deveriam ler. Um livro de rendição e amizade, vai te levar à outras realidades. Realidades que você nunca esquecerá e que irá querer mais.



18 de mar de 2015

Parceria: Editora Arwen

Olá leitores :)

Trago mais uma super novidade para vocês *0* Fomos selecionados pelo Grupo Editorial Arwen, que é composta pela Editora Arwen e a Literata. Vamos conhece-las um pouco mais? 


Editora Arwen
Dando raízes aos seus sonhos


O Grupo Editorial Arwen foi fundado em 2012 e conquistou leitores do mundo inteiro com publicações jovens e criativas. Apostando sempre em autores nacionais, temos como objetivo dar raízes aos sonhos de autores e leitores. E, mesmo sendo uma editora jovem, a Arwen vem com maturidade e experiência no mercado editorial oferecendo mais que títulos, mas sim publicações de qualidade. Junto a você, leitor, a Arwen cresce e se diversifica ainda mais, com a chegada de profissionais para levar seus sonhos ainda mais longe e novos selos (Literata) para atender um público ainda maior e cada vez mais crítico. Por isso, levar o melhor da literatura nacional é o que nossa equipe Arwen deseja. 


Fundada desde 2012, foram mais de 100 títulos e 30 autores publicados pela Editora Literata em seus anos no mercado editorial. Por meio dela, diversas portas para a literatura nacional foram abertas e muitos escritores puderam ver seus livros, de fato, sendo realizados. Em novembro de 2014, a Literata virou selo editorial do Grupo Arwen e vêm publicando autores nacionais de sucesso, com foco em literatura fantástica, romance e ficção. Desde então, o Grupo tem como objetivo dar raízes aos sonhos de grandes escritores e lança-los com qualidade editorial, revelando talentos da literatura brasileira.

CONHEÇA ALGUNS LANÇAMENTOS DA EDITORA

Kitty é uma gata sarcástica e cheia de mistérios que aprendeu a viver nas ruas há mais de quatrocentos anos. Independente e esperta, ela foge de qualquer contato humano, já que deixar-se ser adotada é o seu pior pesadelo. O grande medo dessa felina é que alguém desperte dentro dela o seu maior segredo.

Vivendo nos becos da cidade de São Paulo, Kitty conquista o coração de Eduardo e, contra sua vontade, vira um animal de estimação. Tudo o que essa gata não queria que acontecesse.

Entre as diversas tentativas de fuga, ela se vê cercada de afeto e carinho pelo seu novo dono e começa a ser cativada. Então, é Eduardo, seu dono ruivo e charmoso, que desperta o que Kitty tem de pior. Quando ele deseja que sua amada amiga de estimação seja mais do que ela realmente é, a gata precisa correr contra seu próprio instinto.

Ser quem ela foi condenada a ser, ou viver como quem ela verdadeiramente é? Dividida entre duas espécies, Kitty precisa decidir o destino de sua vida para viver um grande romance.








Quando a lua surge no céu estrelado e o fogo crepita na fogueira como as chamas de uma fênix, um dueto se inicia. Convidada pelo imperador cigano, Esmeralda responde ao seu canto com histórias em forma de prosa enquanto dança ao som da viola. Um dueto poético que mistura, fé, magia e história. Assim a natureza surge em cada palavra da cigana, nos ensinando sobre as belezas deste mundo.









14 de mar de 2015

Resenha: Homem Máquina - Max Burry

Título: Homem-Máquina
Autor: Max Barry
Nº de Páginas: 284
Editora: Intrínseca

Como seria a sua vida se você fosse completamente dependente de tecnologia? Tão dependente, que seus utensílios fossem “parte de você”…?

Então, basicamente a história apresentada no livro Homem Máquina escrita por Max Barry é esta. O enredo se desenrola sobre o engenheiro mecânico Charles Neumann, que trabalha numa grande companhia de desenvolvimento de novas tecmologias. Charlie é extremamente ligado a tecnologia e aparelhos eletrônicos. Esse gosto é tão grande que beira o absurdo.

Um dia comum, com qualquer outro, Charlie fica sem o seu smartphone, onde ele realizava quase todas as tarefas de seu dia como verificar emails, checar o trânsito, clima, e qualquer outra coisa que fosse possível. Essa situação, que para a maioria das pessoas é um problema corriqueiro, para Charlie causa um grande impacto no seu cotidiano, de tal forma que, na execução de um dos projetos de seu laboratório acaba ocorrendo um acidente. Neste acidente nosso personagem perde uma das pernas. Já em recuperação no hospital, Charlie conhece uma especialista em próteses, e partir daí, a vida dele começa a mudar.


Não satisfeito com nenhuma das próteses disponíveis, nem mesmo a mais sofisticada e com uma vasta gama de possibilidades, isso não é o suficiente. Com isso, o engenheiro começa a trabalhar em melhorias para sua nova perna biônica, adicionando peças, funções, facilidades, de tal forma que Charlie conclui que sua nova perna é melhor, mais útil e lhe serve melhor que sua perna humana comum. Então por quê não modificar sua outra perna também?

Com essa novas possibilidades com as novas partes de seu corpo adquiridas, a vida do engenheiro nunca mais vai ser a mesma. Seus pensamentos, suas atitudes e suas relações, mudam a cada dia e tomam uma nova cara. Seus dias jamais serão o mesmo, culminando num final impressionante e surpreendente.

E você, o quanto é dependente de tecnologia? Até onde iria para ter uma acesso melhor às facilidades que a vida moderna pode lhe proporcionar? Até onde o ser humano é capaz de ir em favor do progresso? Todos estes questionamentos são abordados nesta obra de ficção científica, que tenta retratar de forma humorada e exagerada os excessos do consumo humano por tecnologia, cada vez mais ávidos por novas possibilidades de facilitar a vida humana moderna.

Uma obra que merece atenção e que vai agradar principalmente as pessoas que são ligadas às áreas de tecnologia e engenharia, ou você que se considera um geek. Mas se você não se identifica com essas áreas de conhecimento, você vai se agradar com a boa escrita e com a história diferente que é contada. Mais que recomendado.


Próxima Página