31 de mai de 2014

Parceria: Alma Cervantes - Se Arrependimento Matasse

Olá leitores :)
Estamos no último dia do mês de Maio e venho anunciar mais uma parceria (esse mês foi muito bom). Vamos conhece-lo? 

BIOGRAFIA
Alma Cervantes é admirador da Língua Portuguesa desde a infância e grande fã dos romances policiais de Agatha Christie. Faz sua estreia na literatura com o romance policial "Se Arrependimento Matasse".














SINOPSE
Alex, Alice e Rebeca são grandes amigos e decidem se reencontrar depois de alguns anos sem se verem. O lugar escolhido é o hotel dos pais de Alex, mas o que parecia uma viagem especial, repleta de conversas agradáveis e descontraídas com os outros hóspedes durante o jantar se transforma, em seguida, num pesadelo. Quando os três se preparam para dormir, ouvem batidas desesperadas à porta e seguem ao salão, onde logo descobrem que o cozinheiro fora assassinado. Com a comoção, somada à dificuldade de fuga devido à tempestade e névoa lá fora, a confusão logo se instala no hotel, além de um desagradável clima de suspeita entre os hóspedes. Tensão. A revelação de um detetive. E um desfecho surpreendente.








LINKS ÚTEIS

30 de mai de 2014

Série Brasilidade _ Di Vicktor




Sempre observo quem curte minhas fotos no Instagram, assim encontrei o Di Vicktor, eu tinha que pedir uma entrevista ou não era eu... E ele foi super gentil ao aceitar, confiram abaixo!!! 

1- Como foi seu inicio na literatura?
Como leitor, começou cedo. Minha mãe era uma devota (sem exagero) dos romances Sabrina, Julia, etc. Meu pai viajava muito a trabalho, então acho que minha “mainha” encontrava nos romances um alento (era natural vê-la sorrindo e lacrimejando ao ler). Tentava ler também, mas aquilo eu não entendia muito. Foi então que meu pai mudou de emprego e começou a ficar mais tempo em casa. Logo ele também quis ler e “achou” aquela literatura western (os “cowboys” que ele assim chamava). Virei fã destes livros e ficava esperando ele terminar de ler pra chegar a minha vez.

2- Quando surgiu a ideia de publicar um livro? Alguém te incentivou?
Essa sim é uma pergunta difícil. Sabe aquele garoto que sempre é o imã da turma? Pois bem, eu era o “contador de histórias” da galera, o motivo de risos a fio até altas horas da madrugada, nas antigas ruas calmas de Tobias Barreto. A diferença de agora é que hoje eu escrevo estórias, mas antes eram relatos verdadeiros (tudo bem, tinha um certo exagero nos “causos”). Nós crescemos, criamos famílias e, inevitavelmente, nos afastamos um pouco por causa das rotinas e responsabilidades diárias de cada um. Os encontros foram ficando cada vez mais raros até que surgiu o “boom” do facebook, reaproximando pessoas que, mesmo morando perto, são afastadas pelo cotidiano. Minha cidade mudou muito, se tornou violenta, e como sou meio saudosista, comecei a cogitar escrever sobre a antiga Tobias. Logo que falei para alguns poucos sobre essa ideia, logo se espalhou como um mantra, quase como aquelas correntes chatas do Orkut. O que era um projeto virou logo uma obrigação, e a galera todo dia me cobrava o término deste livro. Então, respondendo a pergunta, praticamente todos os tobienses que conheço me apoiaram.

3- Qual é o papel da sua família acerca de sua carreira como autor?
Eles me apoiam, mas desde que eu não pense em largar tudo. Mas nunca chegaram a demonstrar isso em palavras, pois nem precisam, eles sabem que tenho pés no chão, que nunca passou por minha cabeça qualquer tipo ambição.

4- O Livro “O Mistério de Tobias” está fazendo o sucesso que você esperava? Conte-nos um pouco sobre ele.
Passei nove meses escrevendo este “filho” (feliz coincidência). Em nenhum momento passou por minha cabeça enviá-lo pra alguma editora, e tinha várias justificativas pra isso. A primeira é que este romance, em minha opinião, não é “mercadológico”, pois trata-se de uma estória com personagens, passagens e locais bem peculiares à esta cidade. Provavelmente um leitor que não conhece a vida e obra de Tobias Barreto, e nem conhece esta cidade, não vai ter a mesma reação que muitos tobienses tiveram. Mesmo assim eu recebi pedidos do livro de leitores de quase todos os cantos do país. As críticas foram boas e encorajadoras, e era quase unanimidade a reclamação e sugestão de que o romance fosse mais longo. Então me sinto muito satisfeito e até já começo a pensar numa continuação (“O segredo de Tobias”).

5- Poderia comentar algo sobre “Estradas da Luz”?
“Estradas de Luz” era (ou quem sabe seja) pra ser meu segundo romance. Comecei a escrevê-lo logo depois do lançamento de “O mistério de Tobias”. Trata-se de um romance baseado na vida de vários universitários brasileiros, residentes em cidades que não têm universidades, e que precisam diariamente pegar a estrada para cursar faculdade. Eu passei por essa fase e, conversando um antigo colega de ônibus, surgiu a ideia. Tudo começou com o título, pois nas madrugadas de volta para casa, o único rastro que ficava em nossas cabeças recostadas nas poltronas eram as luzes. Luzes dos postes, das casas, da lua, das estrelas. Serão quatro personagens, no qual fiz um concurso para nomear dois deles. Infelizmente (ou felizmente) uma outra história surgiu na cabeça, e esta me perseguiu por duas semanas inteiras, atrapalhando o enredo que estava escrevendo. Então resolvi deixar ser vencido pela nova estória, e pausei momentaneamente esse projeto.

6- O que é “EXUVIA”?
A bendita EXUVIA! Causadora de insônias e motivo por ter parado de escrever “Estradas de Luz”. Pois bem, estava eu despretensiosamente assistindo TV, quando vi na grade de programação um documentário sobre libélulas. Era domingo, ainda cedo, estava me despertando para começar a escrever (adoro escrever logo após acordar). Programei o documentário e logo o canal muda automaticamente. Mal sabia que aquele momento seria tão importante. O narrador disse uma palavra estranha e que eu nunca tinha escutado. Antes que ele começasse a explicar, pesquisei rapidamente no google do celular. Do latim EXUVIAE, que significa “vestido largado”. E a mágica aconteceu aí, pois imaginei quase toda uma estória neste exato momento. Tanto que não prestei bem atenção no restante do documentário, e precisei esperar mais alguns dias quando ele se repetiu na grade e assisti-lo mais atentamente sobre o ciclo de vida das libélulas. Pensei “e se numa determinada cidade começasse a aparecer corpos e que a população ficasse em pânico imaginando que fosse um serial killer, mas que na realidade fosse uma pessoa/criatura que estivesse mudando de pele? (“ecdise”, de acordo com o documentário)”. Eu nunca me imaginei escrevendo esse tipo de ficção, então um senso de realidade confrontou minha inspiração de fantasia. Resolvi deixar pra lá, tentei esquecer. O problema é que foi em vão. A escrita de “Estradas de Luz” não fluía mais, pois a imagem de uma mulher sombria, praticamente um “metamorfo”, começou a me assustar, entrar nos meus sonhos e tudo mais. Coincidentemente uma libélula adentrou minha residência e eu fiquei encarando-a por um tempo suficiente de achar que aquilo era um sinal. E assim aconteceu, e assim será. O escopo da estória já está definida e agora estou só montando os personagens e outros aspectos que logo divulgarei no meu site e nas redes sociais.

7- Em sua opinião as editoras que estão dando espaço a autores iniciantes? E a que isso se deve?
Confesso que se essa entrevista fosse feita meses atrás, minha resposta iria soar polemica demais, mesmo que não fosse esse o propósito. Hoje eu sou escritor principalmente por ter passado por um processo difícil de politização e socialização. Então, neste sentido, fico ainda um pouco decepcionado com a forma de como se faz literatura aqui no Brasil. Editoras que procuram autores com “mercado” em vez da qualidade literária, escritores que praticamente se prostituem por qualquer método que o faça ser “rentável” às editoras, leitores que se adéquam à esse sistema e, por que não, blogueiros que se tornaram peça chave nesse panorama por difundir o que as editoras querem. Fazendo uma comparação ao futebol, é como um jogador (escritor) ficar submisso aos presidentes de clube (editores), e ter sua imagem ofuscada pelos empresários (alguns blogueiros), agora sob todos os holofotes. E então o que interessa realmente para o torcedor (leitor), que é o jogo (a leitura do livro) em si, fica a mercê das opiniões já pré-concebidas do que é bom ou não.

8- Tem outros projetos literários em mente?
Inúmeros! E parecem ser infinitos. Paralelamente estou ajudando três garotas de 11 anos de idade que querem ser escritoras. Me deram um conto de fantasia urbana que estou editando discutindo ideias pra melhorá-lo. São alunas da escola onde trabalho e, na mesma sala, fiz um projeto que trata-se de um dicionário, uma espécie de glossário infantil, onde palavras como “amor”, “vida”, “mãe”, “Deus” foram sugeridas para estas crianças darem o sentido, um significado só delas. “Um mundo azul e rosinha” é o nome (inspirado no nome da escola, Rosinha Felipe). Tem um projeto de jornal cultura que ainda estou me reunindo com possíveis colaboradores, e outro que visa transformar a vida e obra de Tobias Barreto de Meneses em quadrinho (ou livro infantil), com uma linguagem mais apropriada e resumida, objetivando a propagação da grandeza do nosso patrono.

 9- Gostaria que você deixasse uma mensagem para os atuais e aos futuros leitores.
De um ponto de vista amplo, espero que o brasileiro leia mais e leia tudo que goste. Que não fique preso à modismos e que fuja um pouco do tradicionalismo literário das escolas. De forma restrita, digo-lhes que estou só começando. Ainda tenho a vida toda pela frente, e minha intenção é escrever um livro por ano. Quem sabe eu consiga...

Rapidinhas
Um livro: Lenora
Um autor (a): Heloísa Prieto
Um ator ou atriz:  John Malkovich
Um filme:  Encontrando Forrester
Um dia especial:  19-12-2013 (Lançamento do meu livro)
Um desejo: Posso desejar que os leitores gostem desta entrevista?


(risos da minha parte, pois eu super curtir)

Pós-entrevista>>>> Meu comentário pessoal:
Devo confessar que não sabia da obra, quando estava procurando sobre ela li Tobias Barreto de Menezes deu um estalo na mente (eu precisei fazer um trabalho sobre ele na escola) e disse: Opa!!! Daí fui lendo e vi SERGIPE aí disse: OI?! Como assim SERGIPE?! Preciso realmente voltar mais os olhos para a Prata da Casa.


Resposta:
Fico agradecido e maravilhado por tu ser uma conterrânea. Fico muito animado, pois, mesmo sabendo que nosso país não é de leitores, percebo uma mudança no comportamento dos leitores. Hoje ainda são poucos na sociedade, mas não mais escondidos, encabulados e envergonhados pelo seu hábito “incomum” aos hábitos nacionais. Espero que entenda meus comentários sobre os blogueiros e não tome pra você a crítica. Se pelo menos uma parte desses tivessem a atitude como a sua de valorizar a literatura nacional e seus autores, talvez o quadro fosse diferente e nós escritores não tivéssemos essa imagem de mendigos pedantes e pedintes de mera leitura de sinopses. Obrigado, mais uma vez!



29 de mai de 2014

Resenha: Como Água Para Chocolate - Laura Esquivel

Título: Como Água Para Chocolate
Autora: Laura Esquivel
Nº de página: 218
Editora: Recorde/Altaya

Como Água Para Chocolate é um livro encantador, com um romance maravilhoso que gira em torno da cozinha. Seus capítulos são contados através de deliciosas receitas.
Tita é a filha mais nova de três irmãs e por tradição, o casamento lhe é negado, já que sendo a caçula, seu dever é cuidar da mãe até esta morrer. Isso não impede de Tita se apaixonar e desejar matrimônio com Pedro, amor de sua vida, porém a impede de fazê-lo. O livro retrata a sua trajetória para se livrar dessa maldita tradição e a luta que trava para ser feliz ao lado do amor verdadeiro. Com sua sensualidade, beleza e um grande talento na cozinha, Tita nos cativará.
Laura nos mostra em alguns pontos fatos surreais, que são belos e bem descritos. Foi um prazer conhecer a ousadia de Gertrudis e aquele fogo quase insaciável que nasceu nela, assim como também foi maravilhoso chegar ao final do livro, acompanhando Tita na sua história divertida, triste, romântica e acima de tudo, deliciosa e com um cheiro magnífico.

É mais uma aventura que eu super indico. É uma leitura leve e de fácil entendimento, servindo para todos os momentos. Como Água Para Chocolates é um livro que deve fazer parte da sua vida de leitor.

27 de mai de 2014

Parceria: Marih Macar - As Amazonas das Montanhas

Olá leitores ! Venho hoje anunciar mais uma parceria que fechamos esse mês (esse mês foi ótimo para parcerias haha), vamos conhece-la?

BIOGRAFIA
Marih Macar nasceu em São Paulo, mas mora no litoral para ficar perto da natureza. Formada em Jornalismo e em Letras, gosta mesmo é de escrever. Trabalhou na redação de duas extintas revistas eróticas e prestou serviços como jornalista free lancer retratando a vida noturna de sua cidade. Escreveu e publicou por conta própria um romance de cunho policial, intitulado “A tal senhora Marjorie”. Atualmente mora na cidade de Praia Grande, litoral de SP.












SINOPSE
Encravada em meio às inóspitas montanhas da cordilheira andina, uma aldeia de mulheres guerreiras vive há séculos no anonimato. É nesse local que Ludmilla, uma jovem da cidade grande, acorda, após ter sobrevivido a um acidente com seu então namorado.
E de repente Ludmilla passa a vivenciar sentimentos inéditos, incluindo uma paixão avassaladora pela estranha mulher que lhe salvara a vida: a bela Kíria, guerreira de suma importância na “Nação Amazonas”, da qual sua aldeia faz parte. Sem saber ao certo a qual mundo pertence, Ludmilla resolve optar por voltar à cidade e encara uma triste e estranha viagem de volta. 
Porém misteriosos chamados a fazem tentar desesperadamente retornar às montanhas e, para isso, ela precisa estudar muito a Cordilheira dos Andes e a história das lendárias amazonas. Em busca de informações sobre como chegar ao caminho de volta, ela conhece uma misteriosa mulher de cabelos vermelhos. Tal mulher fascinante acaba por envolvê-la com facilidade e, também encantada por Ludmilla, dá a pista certa para ela retornar às montanhas das amazonas. 
Nas montanhas, entretanto, Kíria faz questão de mostrar a Ludmilla que a vida de guerreira não é apenas vivenciar paixões, e, mais do que fazer o juramento, é preciso sobreviver em meio a uma região hostil, proteger o segredo das amazonas e defender seu território, enfrentando até batalhas sangrentas, se preciso for.

E ai? Gostaram? Em breve teremos resenha aqui no blog :)

26 de mai de 2014

Leitura da Vez: O Eco do Machado



Olá leitores :) Hoje venho apresentar a vocês minha Leitura da Vez. Dessa vez estou lendo o livro do nosso autor parceiro Fábio Mota. Leia a sinopse a seguir:

Em Brasília, um assassino acaba de extirpar os testículos de mais um padre, fazendo sua terceira vítima.
Para chegar até o assassino, o experiente delegado da Polícia Federal, Diego Padavona, espera poder contar com a ajuda do professor doutor Kérson Kunt, especialista em História Medieval, e tio do primeiro suspeito.
Para isso, Padavona viaja até a cidade do Rio de Janeiro para se encontrar com o excêntrico Dr. Kérson, com quem o sobrinho Rangel passou a morar depois que uma tragédia acometera a família Kunt, seis anos atrás. 
As palavras do Dr. Kunt, no entanto, não parecem dignas de confiança. Suas dicas sobre a personalidade do sobrinho são enigmáticas e só fazem aumentar o suspense; segui-las, pode não ser o melhor caminho a tomar.
Mais uma vez Diego Padavona se vê diante de um assassino em série, mas desta vez restam poucas informações ao delegado, que terá de desvendar o mistério e encontrar o assassino o mais rápido possível, antes que mais um padre apareça morto.

Então é isso gente e em breve teremos a resenha ;) 

25 de mai de 2014

Você Sabia?/Datas Comemorativas: Dia da Toalha

Olá leitores !
Hoje venho falar do Dia da Toalha. Mas do que se trata essa data? É feriado? É uma data comemorativa? Vamos lá...

O Dia da Toalha é celebrado no dia 25 de maio como uma homenagem dos fãs ao autor da série O Guia do Mochileiro das Galáxias, Douglas Adams.
Os fãs do autor queriam encontrar uma forma de homenagear uma pessoa que tinha feito o mundo rir e chorar de rir, então precisavam de um tema engraçado para sua homenagem. Como sua mais conhecida obra é O Guia do Mochileiro das Galáxias, e como no livro o autor dedicou um página inteira sobre a toalha e sua importância para os mochileiros das galáxias, decidiu-se então pelo uso da toalha como tema da homenagem.
O dia 25 de maio de 2001 foi o dia em que foi feita a primeira homenagem. Depois discutiu-se sobre a possibilidade de alterar o dia para 42 dias após a data de falecimento, devido a outro detalhe da saga, que afirma que a resposta para questão fundamental da vida, o universo e tudo mais seria 42. De todo modo, acabou continuando a data da primeira comemoração, 25 de maio. A data é lembrada pelos fãs que carregam uma toalha durante o dia inteiro com eles. Alguns usam como uma capa, outros como um turbante, enfim cada um usa a toalha como deseja, desde que esteja consigo a toalha.

Segundo Adams, a toalha é um dos objetos mais úteis para um mochileiro interestelar. Em parte devido a seu valor prático:

- você pode usar a toalha como agasalho quando atravessar as frias luas de Beta de Jagla;
- pode deitar-se sobre ela nas reluzentes praias de areia marmórea de Santragino V, respirando os inebriantes vapores marítimos;
- você pode dormir debaixo dela sob as estrelas que brilham avermelhadas no mundo desértico de Kakrafoon;
- pode usá-la como vela para descer numa minijangada as águas lentas e pesadas do rio Moth;
- pode umedecê-la e utilizá-la para lutar em um combate corpo a corpo;
- enrolá-la em torno da cabeça para proteger-se de emanações tóxicas ou para evitar o olhar da Terrível Besta Voraz de Traal (animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você - estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz);
- você pode agitar a toalha em situações de emergência para pedir socorro; 
- você pode usá-la para enxugar-se com ela se ainda estiver razoavelmente limpa.

Enfim, hoje é um dia especial para os fãs do autor que escreveu essa obra maravilhosa, que é composta por 5 livros. Abaixo segue as fotos que pedi aos fãs do autor que me mandassem para fazer uma homenagem especial aqui no blog. Fotos via instagram e via facebook.







24 de mai de 2014

Resenha: A Arma Escarlate - Renata Ventura

Título: A Arma Escarlate
Autora: Renata Ventura
Nº de Páginas: 488
Editora: Novo Século

              Ainda bem que alguém acreditou que nós brasileiros temos magia correndo em nossas veias e essa obra nos prova isso.

A Arma Escarlate é o primeiro livro que conta a história de Idá ou Hugo e se assemelha muito com as histórias do Harry Potter, porém adaptados à realidade do Brasil. E se você não gosta de Harry Potter, leia esse livro do mesmo jeito, que você irá se surpreender com que a autora escreveu. 
Há bastante semelhanças com HP, como por exemplo:
- Sub Saara e o Beco Diagonal
- A Varinha Escarlate e a Varinha das Varinhas
- Atlas e Lupin
- Aberlado e Malfoy
- Azêmolas e Trouxas
- Fiascos e Abortos, dentre outras semelhanças, porém, a Inglaterra é diferente do Brasil e Hugo é diferente de Harry Potter.
Hugo é morador de uma favela no morro Dona Marta no Rio de Janeiro. O garoto se envolve muito com os traficantes pretendendo ajudar sua mãe com o sustento da casa, pois seu pai os havia abandonado. Hugo acaba se encrencando com os traficantes e recebe uma carta convidando-o para uma escola de magia brasileira, aliás, uma das cinco escolas de magia existente do Brasil, que é a Nossa Senhora do Korkovado, onde o garoto, com medo de ser morto, acredita naquele seu "dom" e vai atrás de aprender mais sobre esse misterioso dom e enfrentar o bandido que estava ameaçando sua família. Na escola, o garoto conhece os Pixies, um grupo de adolescentes que batem sempre de frente com o conselho da escola, que é o órgão responsável por deixar a escola nos "conformes" e que quer implantar um modelo educação europeu no Brasil.
Desde muito cedo, o garoto aprendera a não confiar em ninguém, trazendo já consigo as decepções que teve na sua favela, porém, na escola, ele conhece um grupo de amigos no qual pode confiar e não fazia por medo de se machucar futuramente. 
Durante todo o livro, você consegue ter diversas reações com Hugo, da raiva à preocupação. Eu particularmente, em diversos trechos, tive muita raiva de Hugo, por causa de seu jeito estourado e cabeça dura de ser, mas depois fui vendo que era apenas um garoto que não sabia em quem podia confiar e tentava resolver tudo da sua maneira.
Muitos personagens me chamaram a atenção, como Eimi, um mineirinho que falava muito era o colega de quarto de Hugo. A Gislene, uma vizinha de Hugo do morro e que é bruxa também (). Temos a Zô, que é a diretora alegre e "avuada" que sempre vai contra as manias europeias do conselho. Mas fora Hugo, os que mais me chamaram atenção foram os Pixies. O grupo de quatro alunos formados por Cainama, Viny, Capí e Índio, que diverte a todos da escola aprontando com a Dalida, que é a conselheira principal e com os Anjos, um grupo de adolescentes que seguem a risca as normas europeias.

Uma das coisas que mais gostei no livro foi a valorização de nossa cultura e as criticas sociais que a autora faz no decorrer do livro como as drogas, a educação, a corrupção, etc.

Esse foi um dos primeiros livros brasileiros que me fez acreditar que a Literatura Brasileira pode ser igual ou melhor que as literaturas estrangeirais. O livro tem uma leitura leve e muito divertida. O livro é magnifico e virei mega fã da Renata :) Recomendo!


“Todos elementos podem ser usados tanto para o bem, quando para o mal. Só depende de você, decidir o uso que vai dar ao poder que você tem.”

23 de mai de 2014

Você Sabia?: Dia do Abraço

Olá leitores!

Você sabia que ontem (22/05) foi comemorado o dia do abraço? Para comemorar (atrasado) esse dia, trago um texto da nossa autora parceria Yohana Sanfer que está no seu livro Da boca pra dentro.




AQUELE ABRAÇO

Nem os bons restaurantes, nem as praias brasileiras, as casas de amigos ou um hotel cinco estrelas. A escritora Martha Medeiros define que o melhor lugar do mundo é dentro de um abraço. Alguém pra discordar? 

Todo abraço é entrega, afago recíproco do corpo. Um compartilhar de energia, momento de troca, de fusão. Eu também duvido que se encontre algum outro lugar tão capaz de acolher, de dar calor, de confortar, cessar saudades ou preparar o coração para a distância. 

Já dei e já recebi abraços memoráveis. Abraço que pede desculpas, abraço de celebração, abraços de despedida, daqueles fortes, dos quais não se quer mais largar. Mas nada mais arrebatador do que um abraço de encontro. Aquele abraço em quem se esperou chegar, aquele enlace que tem pressa de acontecer e que de tão urgente o coração parece querer saltar do corpo pra abraçar primeiro. 

Hoje mesmo presenciei alguns destes na entrada de um restaurante. Braços hiperativos, vozes orquestradas, peitos unidos e o balanço selando a união dos corpos. Coisa bonita de se ver. 

Me fez recordar daquele abraço, o inesquecível. Você tem um? 

Meu abraço inesquecível tem som de recreio e riso de criança. Ele aconteceu há uns dez anos atrás quando, ao chegar à escola em que eu trabalhava, fui recebida calorosamente pelos alunos que brincavam no pátio. Ao me verem entrar, todos – leia-se aqui quase vinte – correram em minha direção, sorrindo e gritando o meu nome em coro. 

Eu já sabia o que aconteceria em seguida. A avalanche estava dada. Só tive tempo de respirar fundo, abrir os braços até onde conseguisse e me abaixar um pouco. 
Depois do impacto, todos ao chão. E risos graves espalhados pelo ar. Levantar? Levantar não seria apenas uma afronta, levantar era impossível. O que se via era um montinho frenético no qual eu era a base. 

O abraço coletivo teve fim quando alguém apareceu para saber se eu estava bem. A voz preocupada da diretora cortara a cena. E como eu não estaria bem? O desconforto de cair no chão fora perdoado pela alegria de caber em tanto carinho. 

Hoje, concordando com a Martha que não há melhor lugar para se estar do que num abraço que nos baste, penso que em tempos de se fazer check-in nas redes sociais para mostrar que está indo para a academia, para o barzinho ou para a balada, nosso conforto certo não poderia ser outro do que estarmos envolvidos por quem nos quer bem. 

"Partiu", abraço?


Este texto está no seu livro Da boca pra dentro. Informações e encomendas por e-mail: yosanfer@yahoo.com.br

22 de mai de 2014

TAG: Se eu fosse




Olá leitores :)
Vou hoje responder a TAG "Se eu fosse", que vi no blog Garota Antenada da Paullyanne. Vamos lá? 

Se eu fosse:


Se eu fosse um mês: Setembro
Se eu fosse um dia da semana: Sexta
Se eu fosse uma hora do dia: 20:00
Se eu fosse uma estação do ano: Inverno
Se eu fosse um planeta: Terra
Se eu fosse uma direção: Em frente
Se eu fosse um móvel: Cama
Se eu fosse um pecado: Preguiça
Se eu fosse um sentido: Paladar




Se eu fosse uma planta: Hortelã
Se eu fosse uma flor: Girassol
Se eu fosse um clima: Frio
Se eu fosse um prato: Lasanha
Se eu fosse um instrumento musical: Violão
Se eu fosse um elemento: Água
Se eu fosse uma cor: Vermelho
Se eu fosse um animal: Leão








Se eu fosse um som: Mar
Se eu fosse uma música: I'm Yours
Se eu fosse um sentimento: Amizade
Se eu fosse um lugar: Biblioteca
Se eu fosse um sabor: Doce
Se eu fosse uma palavra: Determinação
Se eu fosse um objeto: Livro
Se eu fosse uma parte do corpo: Boca
Se eu fosse um número: 13
Se eu fosse um símbolo: Coração
Se eu fosse um filme: Titanic


Sintam-se taggeados para responder essa TAG. Até a próxima.

20 de mai de 2014

Resenha: A menina que roubava livros - Markus Zusak


Título: A menina que roubava livros
Autor: Markus Zusak
Nº de páginas: 482
Editora: Intrínseca

É um pouquinho difícil falar deste livro, porque é quase impossível descrever a sua importância para mim. Eu não tenho muitas opções de palavras para dizer como ele me afetou depois de lido completamente, mas vou tentar. Foi um livro que me entregou a emoção por completo no meio da minha sala de estar e tenho certeza que isso vai se repetir se eu tornar a lê-lo daqui a alguns anos.
Pois bem, a história da menina que roubava livro se passa em uma Alemanha de Segunda Guerra Mundial, em uma cidadezinha chamada Molching próxima a Monique, com atenção particular na Rua Himmel. Quem nos narra essa grande viajem é, como no própria capa já diz, a Morte. Ela alega que A menina que roubava livros “é uma dentre a pequena legião que carrego, cada qual extraordinária por si só. Cada qual uma tentativa – uma tentativa que é um salto gigantesco – de me provar que você e a sua existência humana valem a pena”.
 Liesel Meminger a encontrou três vezes. A primeira vez foi quando seu irmão menor morreu vitima de uma tosse frenética.
Depois disso Liesel é deixada pela mãe para sempre aos cuidados de Hans e Rose Hubermann, um homem maravilhoso que trabalha como pintor e uma dona-de-casa rabugenta, mas de enorme coração. Ao adentrar no seu novo lá, Liesel trás consigo O manual do coveiro, o primeiro de vários livros roubados. Livros estes que sempre acompanharam a vida dela naquela Alemanha que era constantemente transformada pela guerra.
Com nosso transporte garantido, viajamos com a Morte por vários episódios importantes que aconteceram entre 1939 e 1943 na Rua Himmel. Nesta jornada nós conhecemos várias pessoas interessantes. Como Rudy Steiner, o melhor amigo de Liesel e namorado que ninguém, nem mesmo eles sabiam que existia. Ou a mulher do prefeito, a melhor amiga da roubadora de livros e em minha opinião, uma das suas cúmplices, mas que Liesel demorou um pouquinho para perceber isso. E até Max Vandenburg, um judeu escondido em seu porão, um grande amigo, mesmo que quase invisível.
Há outros também. Há aqueles que acompanharam até onde fosse possível. Há aqueles que apenas fizerem uma visitinha rápida a sua história e há aquela que esteve sempre ao seu lado, a testemunha de suas dores e felicidades. A que viu a roubadora de livros ser salva pelas palavras, aquela que é a nossa única certeza na vida. Há a nossa narradora adorável.
Eu leio bastante coisa, desde livretos, revistas e quadrinhos até livros grossos com mais que 500 páginas, mas poucos conseguem causar o efeito que A menina que roubava livros me causou. A Morte não gosta de mistérios, ela, durante a leitura, vai nos dando informações cruciais sobre o final e isso me causou um grande medo. Acho que eu nunca demorei tanto a terminar de ler um livro na minha vida como eu demorei para terminar este. Eu tive tanto medo de terminá-lo que eu joguei de lado por alguns meses. Isso porque eu julgava conhecer o final, mas não exatamente por já saber o final que eu parei, foi pelo simples fato de temer o que aconteceu quando eu terminei.
Vivi tanto aquela história que eu acabei sentindo a dor da perda quase como se fosse real e chorei como um bebê ao terminar de ler a última página e não me arrependo. Admiração, isso é o que eu tenho por este livro. Porque ele simplesmente me abraçou e me fez personagem da sua história. Eu me apaixonei por cada ponto e virgula, sonhei com muitas cenas, vivi algumas delas. Um livro que causa isso em um leitor é O livro.
Liesel Meminger, essa garotinha forte, me acompanhará pelo resto da minha vida. Não tenho ela só em minhas lembranças e em minha mente, mas também no meu coração.
Agradeço o autor desde já por ter me feito passar por essa experiência fantástica e se alguém quiser um livro novo para ler, está aqui o primeiro que vou indicar. A menina que roubava livros de Markus Zusak, vale a pena ser lido e possuído.

Parceria: Chaiene Barboza - O Bisturi de Ouro

Heeeeeey leitores! Venho apresentar mais uma parceria que fechei para o blog. Vamos conhece-lo?

BIOGRAFIA
CHAIENE BARBOZA é casado e pai de duas meninas. Profissional autônomo, mora na região serrana do Estado do Rio de Janeiro, também é autor dos livros Poesias e Poemas – Amar, Curtir & Compartilhar e O Bisturi de Ouro – Um romance policial.











SINOPSE
Um médico se torna um dos melhores cirurgiões de sua época. Apesar de ter tido uma infância pobre, Eduardo sempre se dedicou aos estudos, seguindo os conselhos de sua mãe que era muito inteligente e conseguia enxergar o futuro com os olhos da sabedoria. No começo, seu pai não lhe dava apoio. Todavia, ele entendeu que o desejo penetrado no coração do jovem estudante era uma mola propulsora que o faria alcançar o seu objetivo e passou a apoiá-lo com os poucos recursos que possuía. O médico enfrentará um inimigo homicida, escondido sob o manto da amizade. Este mata a pessoa que Eduardo mais ama na vida e depois de descobrir a culpa do “amigo”, terá de enfrentar um grande dilema: o desejo de vingança ou de perdão.









LINKS ÚTEIS

Outras obras do autor:

             





19 de mai de 2014

Leitura da Vez: Dizem que os cães vêem coisas

Bom, estou começando a encarar uma leitura um pouco mais complicada. Moreira Campos é um grande escritor literário brasileiro e me disseram que se vai começar a conhecê-lo, esta obra é perfeita. Dizem que os cães vêem coisas trás os melhores contos que Moreira já escreveu. Já li o que tem o nome do título deste livro e me apaixonei, espero sentir a mesma coisa dos demais.
Já fui avisada também que é uma leitura que merece muita paciência e atenção. Estou disposta a encarar, afinal, Literatura Brasileira é essencial na vida de um leitor.
Você vem comigo?

TAG: Arco-íris Literário

Heeeey pessoas! Hoje irei publicar a TAG Arco-Íris Literário que fui indicado pelo blog Café com Letras . Minha coleção de livros não é muito grande, mas eu gosto muitíssimo dela, pois foi com minhas economias que tô conseguindo monta-la, mas enfim, a TAG consiste em pegar 7 livros de cores diferentes (vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, azul anil e violeta) da estante e formar um arco-íris com eles.


Escolhi os seguintes livros:

Vermelho: O Código da Vinci - Dan Brown
 Laranja: Como treinar o seu dragão - Cressida Cowell
 Amarelo: O Símbolo Perdido - Dan Brown
Verde: Crime e Castigo - Dostoeviski
 Azul: O menino do pijama listrado - John Boyne
 Azul anil: Por que os homens fazem sexo e as mulheres fazem amor - Allan e Bárbara Pease
Violeta: Harry Potter e a Ordem da Fênix - J.K. Rowling

Bom gente, essa foi o meu Arco-Íris Literário e indico os seguintes blogs para responder a TAG, e quem não foi indicado, sinta-se taggeado para responder. E deixem nos comentários o link para eu saber as respostas de vocês.
Eu li, e você - Ítalo Teixeira.
Thousand Lives to Live - Gabriella Bastos
In my world:- Paulo Victor 
Emergência Poética - Gleyton Nunes 
Beco do Livro - João Vitor
7 dias de Luiza - Luiza Moura
Garota Antenada - Paullyanne Carolyne



Parceria: Adrieni Yassine - Escrito Sob Fogo e Sangue – A Decisão

Olá leitores!

Venho mais uma vez anunciar parceria o/ Vamos conhecer quem é nossa nova parceira?

BIOGRAFIA
ADRIENI YASSINE tem 43 anos, é formada em Comunicação Social pela UEL, especialista em Marketing pela UNIOESTE; advogada pela UNIFOZ; especialista em Gestão de Negócios pela FGV; especialista em direito do Trabalho pela UNINTER, mestre em Administração de Empresa, UFPR. É casada com Imad Mohamad Yassine, mãe de dois lindos filhos: Yasmim Imad Yassine com 19 anos e de Mohamad Imad Yassin de 17. Mora em Foz do Iguaçu, num lugar iluminado pela diversidade e beleza. Adora ser como é, comunicadora, alegre, de bem com a vida. 
É espírita, e acredita que nada é por acaso, e por isso está sempre disposta a fazer o que lhe cabe, a dar o seu melhor, por isso procura se ausentar quando não pode iluminar, calar quando não pode inspirar... Ela tento, às vezes dá errado. 
Seu livro foi publicado pelo selo Novos Talentos da Literatura Brasileira – pertencente ao grupo editorial Novo Século – o primeiro volume da saga: A decisão é uma viagem no tempo, em um futuro no qual o mundo é muito diferente do que conhecemos hoje. 
As histórias de amor e de luta são recheadas de magia, fogo e sangue. As raças expulsas, bruxas e magos iniciam seu retorno para o planeta azul. Elas se misturam, se amam e se odeiam. Afinal, viveram com os humanos.

O equilíbrio está na superação individual, as diferenças são marcadas por Kir e Destroc, os pais do redentor, aquele que unirá as forças de todas as raças.

SINOPSE
Um amor marcado por séculos de luta “Escrito Sob Fogo e Sangue – A Decisão” é uma viagem no tempo, em um futuro no qual o mundo é muito diferente do que conhecemos hoje. As histórias de amor e de luta são recheadas de magia, fogo e sangue. As raças expulsas, bruxas e magos iniciam seu retorno para o planeta azul. Elas se misturam, se amam e se odeiam. Afinal, viveram com os humanos. O equilíbrio está na superação individual, as diferenças são marcadas por Kir e Destroc, os pais do redentor, aquele que unirá as forças de todas as raças. Mas esta história teve seu início há muitos séculos. O passado e o futuro se misturam no inacreditável. A esperança dos humanos, o sangue que alimenta os vampiros, o impulso animal que protege os lobisomens e a magia e o fogo que orienta os magos e bruxas.









LINKS ÚTEIS

Compre Aqui


Convite: Sessão de Autógrafos e Evento Literário

Olá leitores!

Hoje venho fazer dois convites a vocês. O primeiro convite é para a Sessão de Autógrafos com os autores de Entre Nós - Cátia Morão e Johnatan Souza (Autores parceiros do blog). 



E o outro convite é para o MOCHILA LITERÁRIA onde nosso autor parceiro Marcelo Hipólito estará presente juntamente com outros diversos autores brasileiros. 





É uma pena que não poderei ir, mas quem for, aposto que vai gostar bastante. 


Parceria: Marcelo Hipólito - O Mago de Camelot

Olá leitores ! Como havia dito no post da parceria anterior, iria postar duas parcerias hoje, pois não pude postar a de ontem, então, vamos conhecer mais essa?

BIOGRAFIA
MARCELO HIPÓLITO é um escritor brasileiro, nascido em São Paulo. É autor dos romances O Mago de Camelot: a saga de Merlin para coroar um dragão (Novo Século, 2013), Osíris: deus do Egito (Marco Zero, 2009) e Lúcifer: o primeiro anjo (Marco Zero, 2006).
Hipólito participa das antologias Fiat Voluntas Tua (Multifoco, 2009) e Metamorfose: a fúria dos lobisomens (All Print, 2009). Além disso, é autor do e-book Dullahan: os cavaleiros sem cabeça (Navras Digital, 2013) e coautor de diversos contos publicados em língua inglesa, nos Estados Unidos, Reino Unido e Espanha, dentre os quais se destaca Eternal Grief, indicado para melhor conto de horror nos Estados Unidos, em 2003, pelo Preditors & Editors Readers Poll.
Hipólito é também diretor de três filmes de curta-metragem de ficção, roteirista de cinema e produtor de teatro.







SINOPSE
De uma infância pobre e sofrida à irresistível ascensão aos salões dos grandes reis; de um começo sem esperanças ao despertar de um poder inigualável, invejado e temido, Merlin, é levado a se tornar o homem mais influente da Idade das Trevas. Confidente supremo do rei Artur e maior conselheiro da corte de Camelot. Misterioso e enigmático. Amado e odiado. Druida, monge e mago.
Na Britânia do Século V da Era Cristã – abandonada pela queda do Império Romano à barbárie dos invasores saxões –, Merlin surge para impor um novo tipo de rei a um povo abatido e desesperado, alterando, para sempre, não apenas o destino dos britânicos, mas de toda a humanidade.
A saga de um homem determinado a erigir uma civilização de paz e justiça numa terra devastada pelo caos e a guerra em uma aventura épica e brutal que equilibra realismo duro com doses amargas de magia.





LINKS ÚTEIS

Compre Aqui:


Espero que tenham gostado, comentem o que esperam do livro e em breve teremos resenha. Por enquanto é só :)


18 de mai de 2014

Resenha: O Código da Vinci

Título: O Código da Vinci
Autor: Dan Brown
Nº de Páginas: 368
Editora: Sextante

Hoje vamos falar de um bestseller mundial que faz jus á esta denominação.
Como todos os livros de Dan Brown ele tem sua forma de escrita perfeita, e, neste livro, temos de volta um personagem especial: Robert Langdon, o simbologista de Harvard que fez sua primeira aparição no livro "Anjos e Demônios", do mesmo autor.
O Código da Vinci segue a mesma linha de seu antecessor com seu conteúdo histórico e irresistível, porém agora com um inimigo diferente... Após enfrentar os Illuminatis no coração da Cidade do Vaticano, Robert Langdon tem uma nova aventura e um novo desafio: decifrar o código da Vinci e enfrentar uma sociedade secreta conhecida como O Priorado de Sião.
Desta vez com seu modo de escrita mais aprimorado, o escritor faz uma obra surpreendente até mesmo para um livro com mais de 80 milhões de cópias vendidas, deixando o leitor sempre com um gosto de "quero mais".
Com assuntos polêmicos e atitudes inusitadas, esta obra te deixará com uma vontade de continuar apenas para saber o que acontecerá no próximo capítulo.
E também não posso deixar de elogiar o ótimo trabalho da editora, com a capa perfeita, as páginas ótimas e levemente amareladas que deixa a experiência de leitura melhor ainda.
Se você leu Anjos e Demônios e gostou, não pode deixar de ler esta aventura ainda mais emocionante, um abraço para você, leitor do blog e uma ótima leitura!

#Enzo

Parceria: Marco de Moraes - Presas

Olá leitores :)
Primeiro queria me desculpar por não ter postado ontem, mas fiquei sem internet ontem :( Onteria teria que postar a parceria do Marco e hoje a do Marcelo, mas postarei as duas hoje para compensar e uma resenha também O/ Então, vamos conhecer o Marco e sua obra?

BIOGRAFIA
MARCO MORAES nasceu em 1983 no Rio de Janeiro. É bacharel em Turismo e tem MBA em Gestão Empresarial. Escritor e poeta, é um observador da vida, retratando o que ela tem de melhor e pior por meio de uma narrativa detalhista que conduz o leitor por um universo sombrio repleto de surpresas. Presas, a dádiva da escuridão é seu primeiro livro publicado.















SINOPSE
Estas são as lembranças de um andarilho que teve de recomeçar sua jornada quando se vê em um sombrio e nebuloso pântano, rodeado de cadáveres humanos. Perdido e amedrontado por não lembrar-se sequer do próprio nome, percorre florestas e estradas em busca de sobrevivência e acaba entrando em contato com o povo de um humilde condado. Além de percorrer suas vagas recordações e tentar entender a magia que o atrai tanto àquele lugar, ele ainda deverá enfrentar os filhos da noite, as sanguinárias criaturas que insistem em persegui-lo. 

Neste cenário perturbador e atraente, as horas parecem dias, criando uma mistura de pesadelo e realidade; e os limites entre luz e escuridão se perdem a cada dia em meio a névoa, fazendo com que essas criaturas dominem e perdurem na escuridão.








LINKS ÚTEIS

Compre Aqui



Espero que tenham gostado e em breve teremos resenha ;) Abraço e até a próxima.

16 de mai de 2014

Parceria: Andrews Ulisses - Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido

E ai leitores? Estou tão feliz haha Estamos com algumas parcerias fechadas :) Iremos auniciar parceria até segunda (19/05) por enquanto, sujeito a ter mais (esperamos haha) e hoje viemos apresentar mais uma parceria, dessa vez é com o Andrews Ulisses, autor de Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido. Vamos saber um pouco mais?

BIOGRAFIA
ANDREWS ULISSES nasceu em 1995. Atualmente reside na cidade de Votorantim, São Paulo. Aos dez anos começou a criar histórias em quadrinhos e aos dezesseis decidiu ser escritor. Estudante de engenharia de computação, cinéfilo e gamer, aprecia viajar para conhecer novas culturas e costumes. 
Seu primeiro livro solo, na categoria Infanto-Juvenil ,“A Ilha De Kansnubra e o Portal Perdido”, com temática fantástica contendo Magos, bruxas, dragões e outros seres imaginários, foi editado pela Novo Século/Novos Talentos em 2013. 
Teve sua participação em importantes eventos literário, tais como: Feira de Frankfurt 2013, Projeto Cultural Europa - Literarte/Abrasa, Projeto Intercâmbio Cultural Brasil-Argentina, na cidade Rosário pela Literarte e Salão Internacional do Livro e da Imprensa de Genebra/Suíça 2014, pelo stand da Varal do Brasil, uma das maiores vitrines literárias para brasileiros na Europa. Além disso, participou dos dois Catálogos Artisticos da Literarte, mostrando seu trabalho ao mundo. 
Atualmente é membro correspondente no Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa e se prepara para tomar posse como membro da delegação no Brasil da Academia de Letras e Artes Valparaíso– CHILE e Academia de Ciências Letras e Artes de Vitória - Espirito Santo. 
O autor já é detentor de importantes prêmios. São eles: Prêmio Diamonds of Arts and Education (Viena/Austria), Prêmio Intercultural Latino-Americano de Cultura (Rosário/Argentina) e Prêmio Literário e Artístico – Categoria Revelação – Literarte (Ouro Preto – MG). Foi convidado para ser homenageado com o “Troféu Excelência Cultural ABD”, pelos 70 anos da entidade aos merecedores da cultura e para fazer parte da Enciclopédia Artistas Contemporâneos Lusófonos em homenagem aos 8 séculos da Lingua Portuguesa.

SINOPSE
A “Ilha de Kansnubra e o Portal Perdido” é uma obra de ficção infanto-juvenil que visita o imaginário resgatando a fábula e o extraordinário, transportando o leitor para algum ponto no Triângulo das Bermudas onde magos e bruxas dividem espaço com dragões e acontecimentos formidáveis. A trama de estreia do jovem escritor Andrews Ulisses conta a história de Garley, um tímido estudante de dezesseis anos que encontra um misterioso medalhão de ouro e é transportado a uma ilha fantástica habitada por pessoas que possuem poderes mágicos em diferentes graus, além de ser invisível e inacessível para pessoas que vivem fora dela.











LINKS ÚTEIS
Email: plintex2@hotmail.com



Resenha: Anjos e Demônios

Título: Anjos e Demônios
Autor: Dan Brown
Nº de Páginas: 416
Editora: Sextante

Anjos e Demônios é o primeiro livro de Dan Brown em que aparece Robert Langdon, que ficaria futuramente conhecido por sua aventura em "O Código da Vinci".

O Livro representa o início das aventuras de Robert Langdon, e começa com um mistério surpreendente: um físico que foi encontrado com a palavra "Illuminati" gravada a fogo no peito, o que já chama atenção por si só é o mistério que a história representa, Dan Brown consegue equilibrar, em um só livro, uma história incrível e que chama sua atenção apenas pela descrição e seu modo de escrita que, não importa quantas páginas você leia, você sempre irá querer ler mais. Os capítulos são pequenos, geralmente de duas folhas, do modo que o leitor possa seguir a tradição de "só mais um capítulo".

O escritor tem uma mania de acabar com o capítulo sempre quando a história fica mais emocionante, de modo que obrigue a quem está lendo a continuar, nem que seja apenas por mais algumas páginas para saber o que acontece com seu personagem favorito.

Este mestre da literatura combina um assunto histórico, fatos verídicos, ação, suspense e um leve tom cômico em um só livro de modo que prenda o leitor na aventura, mas vamos falar um pouco sobre a história do livro.

O livro se passa, em sua maior parte, na Cidade do Vaticano, que, ás vésperas da eleição do novo papa quatro dos cardeais mais cotados para serem o futuro comandante da igreja católica são encontrados mortos cada um com um dos que antigamente eram considerado os quatro elementos (água, terra, ar e fogo) gravados á fogo ao peito, que após pesquisa descobrem ser obra de uma sociedade secreta considerada extinta há mais de 400 anos, os Illuminatis, que planeja coolocar uma bomba de Antimatéria embaixo da basílica de São Pedro, ou seja, no coração do Vaticano, e o trabalho de nosso personagem principal é descobrir quem está por trás disso e impedir que esta bomba exploda e mate milhares de pessoas que estão nas ruas do Vaticano esperando ansiosamente a escolha do novo papa.

Com a forma de escrita de Dan Brown, combinado com esta história surpreendente faz deste livro um livro irresistível para os amantes de ficção, eu li e recomendo.

Parceria: Chiado Editora

Olá leitores!

Estou MUITO feliz que acabei de fechar parceria com a CHIADO EDITORA. Vamos conhece-la um pouco mais? 



A Chiado Editora é especializada na publicação de autores portugueses e brasileiros contemporâneos, sendo neste momento a maior editora em Portugal neste segmento, e uma das editoras em maior crescimento no Brasil. Em pouco mais de quatro anos de existência, a Chiado Editora revolucionou o mercado do livro em língua portuguesa, editando mais de 700 novos títulos por ano! Em virtude dos métodos inovadores de produção e distribuição que desenvolvemos, todos os livros publicados pela Chiado Editora estão, a todo o momento, disponíveis para todos os Leitores, nas maiores redes livreiras de Portugal e do Brasil.

A política editorial seguida pela Chiado Editora visa democratizar o mundo editorial, gerando as melhores oportunidades para os Autores, e oferecendo aos Leitores excelentes obras, de variadíssimos géneros, a um preço justo e sem preconceitos. 

Dado o sucesso conquistado em Portugal e no Brasil, a Chiado Editora expandiu o seu trabalho para vários países, em várias línguas diferentes. Poderá descobrir as obras publicadas pelas nossas divisões internacionais através dos seus websites. A Chiado Editora publica igualmente na Alemanha, Angola, Bélgica, Cabo-Verde, Espanha, Estados Unidos da America,França, Luxemburgo, Irlanda e Reino Unido.

CHIADO EDITORA nas Redes Sociais:

Estamos muito felizes com a parceria e em breve teremos resenhas dos livros da CHIADO EDITORA. 



Próxima Página